quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A primeira vez.




“Saliento que o primeiro fio de cabelo grisalho é como o primeiro sutiã, a primeira transa, a primeira viagem a Paris e a primeira vez num Gre-Nal: nunca se esquece.” (Juremir Machado da Silva, ontem, 27 de outtubro, no Correio do Povo)


Vinte e seis anos depois de rebentar no mundo, lá estava eu. Entrando no Beira Rio para assistir um GreNAL.

Era uma espécie de sensação de revanche. Revanche a todo o sofrimento de ter aturado com "duras penas" as gozações dos anos 90: quando a maioria das minhas amigas que tinham nascido coloradas, se converteram ao "Gremistismo", eu continuei firme no meu "coloradismo": sofredor e quase sem esperanças! Ser campeão do mundo... putzz... Aquela velha história que iríamos chegar em Tóquio porque o estádio ía afundar até lá.
Ironia ou não, temos uns dos melhores estádios do Brasil.

Arena... hein?


Creio que de certa forma, já havia me "vingado" quando fomos campeões da Libertadores e do mundo. E de todos os outros títulos.

Aquele momento foi para sentir na pele a emoção do estádio e claro, a sensação maravilhosa de ganhar do Grêmio. E ser testemunha ocular.


Feito...

Bandeira Coloradas Tremulando...

É bom esse D'Alessandro...


Ao vivo.


Um dia tri legal, tri feliz.


Um beijão de "muito obrigada" a quem proporcionou esse momento inesquecível.


Hasta!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

ZzzzZzzZzzzzzzz


Gostaram do meu óculos?

Queria ser a Abelha Rainha do Grenal!!!

ZzzzzzzZzzzzZzzz Para todos, inclusive, os Gremistas! hahahaha!!!

Saudações Coloradas!

Hasta!

... a próxima vitória colorada!

Laranjal é Satolep.


No início dos anos 50
Ele sobrevoava o Laranjal

Num avião construído apenas das lembranças

Do que escrevera na prisão

Vitor Ramil + Marcos Suzano

Nada mais sintonizado com o espírito de valorização do melhor que Pelotas oferece, do que o show Satolep Sambatown para encerrar a Quinzena Gastronômica 2009. No dia 31 de outubro, às 21h, o palco do Teatro Guarany dá a receita de um encontro já consagrado: Vitor Ramil e Marcos Suzano. Os ingredientes para o deleite são voz, violões de aço, percussão e efeitos eletrônicos. É com esses elementos, e mantendo sempre a formação em duo, que eles recriam no palco a música produzida no premiado trabalho. No repertório, todas as canções do disco: Livro Aberto, Invento, Astronauta lírico, Viajei e 12 segundos de oscuridad - esta em parceria com o compositor e cantor uruguaio Jorge Drexler e ainda O copo e a tempestade, A ilusão da casa, A word is dead e Café da Manhã. Além dessas, releituras de canções de outros discos de Vitor como Não é Céu, Foi no mês que vem e Neve de Papel.

31/10/09 21:00

Theatro Guarany

Lobo da Costa, 849 - Pelotas - RS

R$ 40,00 cadeira de camarote | R$ 50,00 cadeira da platéia à venda na Loja O Recanto Provençal (Rua Andrade Neves, 2195 – Pelotas-RS) - Estudantes têm desconto de acordo com a Lei Municipal N° 3.682


Fonte: http://www.noitecia.com.br/evento/vitor-ramil-413

Alguém vai? Estou na dúvida!!!

_______________________________________________________________

Uma foto minha. Dia 13 de julho de 2008. Boas lembranças de um dia e de um lugar em Satolep. Um lugar que só tenho lembranças boas.

Hasta!

sábado, 24 de outubro de 2009

Alimentando com amor. [1]


Sou uma consumidora ecológica. Em parte, claro. Tenho pensado nisso: as pessoas se preocupam com a marca da roupa que usam, a gasolina que colocam no carro, mas comem, ou seja, colocam dentro de seu bem maior que é o próprio corpo, uma quantidade imensurável de veneno. Como pelo menos duas vezes por semana no restaurante Teia ecológica. A comida é muito boa, sim senhor. As verduras "têm gosto" e tem uma saladinha de pão integral com uma maionese caseira que é de "comer rezando meu fio"...

Existem muitas pessoas que nunca pisaram lá, e dizem que não vão gostar da comida. Posso afirmar que hoje existem pessoas que frequentam o lugar e que mudaram seus conceitos. Pra quem gosta de brócolis é o lugar ideal. Brócolis de várias formas. Criatividade mil.

Para quem não conhece, fica do lado da Boate Odeon, na frente da praça Cel Pedro Osório.
O restaurante tem gestão cooperativa e a maioria das pessoas que trabalham lá, milita há anos em favor da Agroecologia.
Na sexta-feira, sentei-me numa mesa e não consegui me concentrar na comida.
Na minha frente havia um casal jovem e muito lindo, por sinal, com suas duas filhinhas. Uma pequenina de colo, com mais ou menos 6 meses e outra, com uns dois anos e pouco, aproximadamente. Coisa mais lindinha, a loirinha de olhos azuis, sentada na cadeirinha e "agarrada" num bolinho de soja. Ela comia e oferecia ao pai, a iguaria. O pai mordia e dizia como estava gostoso. A menininha ria...

Espectadora de uma cena simples e pura. E feliz.
Senti paz... Saí de lá com a sensação de que um dia, serei eu, sentada ali, alimentando com amor, aquele que um dia vou chamar de meu pequeno. Hasta!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

vergonha alheia




Alguém já ouviu a nova música da Pitty?

Atenção aos meus grifos.


Tantas decepções eu já vivi
Aquela foi de longe a mais cruel
Um silêncio profundo e declarei:
“Só não desonre o meu nome”

Você que nem me ouve até o fim
Injustamente julga por prazer
Cuidado quando for falar de mim
E não desonre o meu nome

Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?
Não sei mais o que eu tenho que fazer
Pra você admitir

Que você me adora Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber

Perceba que não tem como saber
São só os seus palpites na sua mão
Sou mais do que o seu olho pode ver
Então não desonre o meu nome

Não importa se eu não sou o que você quer
Não é minha culpa a sua projeção
Aceito a apatia, se vier
Mas não desonre o meu nome

Será que eu já posso enlouquecer?
Ou devo apenas sorrir?
Não sei mais o que eu tenho que fazer
Pra você admitir

Que você me adora Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber
Que você me adora
Que me acha foda
Não espere eu ir embora pra perceber



Sem comentários!


Hasta!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

falta de inspiração.

Bah... tô ficando preocupada: minhas postagens estão super preconceituosas. Preconceito de classe. Total. Desculpa ter nascido tá gentem? E ainda mais ter me tornado socióloga!!!


Mereço "el paredón"!!! Eu sei...


Bueno, mas como hoje estou muito cansada, apenas CTRL V, num textinho que me enviaram esses dias pela net. Engraçado e preconceituoso.

Hasta mañana! Com mais inspiração de preferência!

Revista Caras e aniversário de pobre...

Numa noite regada a cerveja, cachaça, petiscos e pagode, a caixa das Sendas, Kelly Carollynny (18), comemorou sua maioridade cercada de amigos e parentes. A festança foi na laje da casa da família em Queimados, onde mora com os pais, o cobrador de ônibus Ailton (49) e Isaura (43), que está desempregada, mas faz bicos como diarista. A festa, que começou ainda antes do sol se pôr, só acabou de madrugada quando os convidados já perdiam a linha dançando o créu na velocidade cinco. "Tô amarradona!", dizia a exultante Kelly, agora de maior, que usava um vestido todo trabalhado no jérsei, comprado nas Lojas Americanas.
O buffet foi todo organizado pela mãe da aniversariante e incluía coxinha de galinha, risole, joelho e amendoinzinhos. "Também ia ter churrasco, mas a picanha tá pela hora da morte!", desabafou Isaura, enquanto enrolava uns croquetes. De sobremesa, muito cajuzinho, além do bolo especialmente preparado por Dona Jurema (84), avó da aniversariante. Já as biritas ficaram por conta dos convidados, o que gerou certo desconforto. Principalmente quando Alison (44), irmão de Ailton, chegou trazendo Nova Schin. "Isso é sacanagem!", berrou o anfitrião, "a gente é pobre mas tem dignidade", obrigando o tio da aniversariante a sair e só voltar quando trouxesse, pelo menos, Itaipava.
Durante a festa, Kelly aproveitou para assumir seu affair com Rodnei (19), avião do tráfico do Morro da Providência, que presta concurso para PM no fim do mês. "A gente tamo amarradão", dizia o futuro homem da lei. Kelly Carollynny aproveitou a oportunidade para negar os boatos de que estaria esperando um herdeiro: "Eu não tô buchada. Isso é coisa que a mídia inventa para vender mais revista", garantiu antes de afirmar que os dois ainda estão se conhecendo. O casal foi apresentado por Ailtinho (21), irmão da aniversariante, que não compareceu porque agora é pastor e Jesus (2008) o proibiu de freqüentar esse tipo de badalação.
Um dos pontos altos da noite foi quando Ailton, mamado, aproveitou que sua esposa tinha ido para o quarto assistir ao TV Fama e passou a mão na bunda de Suéllen Cristina (27), sua cunhada. A moça revidou com um tapa na cara e se não fosse a turma do deixa disso a situação poderia se agravar. "Vai tomar no meio do olho do seu cu!", berrou a cunhada, enquanto era retirada do local.
Os convidados dançaram a noite inteira ao som de pagode, comandado pelo grupo Superstisamba, cujo líder Birunda (26) fora o responsável por tirar a virgindade da aniversariante meses antes. "Mas num coloca isso aí não, senão pode dar a maior merda", pediu.

Kelly Carollynny agora só quer saber de descansar. Sábado de manhã ela e o namorado partem rumo à rodoviária, onde embarcarão num ônibus para Iguaba. "Domingo a gente volta, que segunda pego cedo no serviçu", garantiu a aniversariante, feliz da vida.


terça-feira, 20 de outubro de 2009

I do not know the color of my eyes. Why?

Senhores passageiros, boa viagem!


Essa postagem pode parecer muito engraçada para alguns, mas pra mim, soa trágica. Como a maioria dos meus amigos sabe, sou professora em uma faculdade em Santa Cruz e, portanto, viajo todas as semanas. Faço a "conexão" Pelotas - Porto Alegre e Porto Alegre-Santa Cruz. Nessa "brincadeirinha" percorro por semana, aproximadamente 800 km e fico 12h dentro de um ônibus... Aí que está o problema. Percorridos, desde o começo desse ano que leciono lá mais de 20 MIL km! (credo!!!), já presenciei várias cenas. Hoje, fiquei extremamente irritada. Um filho discutiu de Tapes à Pelotas com a mãe, falando para ela o quanto ela era imbecil de fixar residência em Pelotas. Bom, a questão não é essa, apesar de achar um absurdo as coisas que ele estava dizendo. Eu acordo as 5h da manhã (4h no horário de verão) nas terças-feiras, a única coisa que eu queria era dar uma dormidinha, meldeeeuusssss! Estavam todos dormindo e eu ali, p. da vida, porque o cara estava gritando nos meus ouvidos. Por isso, resolvi escrever um esboço e postar aqui, do que será um livro meu, um dia: "Como ser uma pessoa legal viajando de Ônibus"... O livro terá 10 capitulos sobre esses maus hábitos, que seguem. Obs: esse é o titulo provisório, se alguem tiver alguma coisa a acrescentar, estamos aí. A fonte será citada.

1. Pessoas que roncam no ônibus. (problema advindo da confortabilidade da Empresa Embaixador. Já me deparei com cada trator!!! E quando tem apnéia? Acaba achando que o cara vai morrer do teu lado!!! E se é feio? Fica no medo de ter que fazer respiração boca-a-boca. Dormir com esse cara do lado, impossivel)...


2. Pessoas gritando no celular. Exemplo mais comum: "AlôÔÔÔÔ, AlÔÔÔÔÔ... Tô chegando!!! Peguei o das 10h em Porto Alegre! Que? Que? Queeeeeeeeeeee? Não to te ouvindo! Hein? Hein? O dotô disse que tê que operá! Hein? Que? Tá, tá, nóis conversa em casa. Tchau, tchau, tchau, tá tchau, tchau"...

3. Pessoas que brigam no ônibus ou tentam resolver conflitos via celular. Deprimente.


4. Pessoas que contam a sua vida para a pessoa do lado. (Serve para perceber o quanto a tua vida é legal...)


5. Pessoas que comem salgadinho. Dois problemas: o barulho do saco (quando se quer dormir) e o cheiro do Cheetos bola. Esses dias uma senhora comeu uma bergamota do meu lado. Sem comentários.


6. Pessoas que fumam no banheiro. (E são ingênuas ao ponto de achar que ninguém vai perceber). Nesse caso a única solução é o arremesso de passageiro.


7. Pessoas que chutam o banco da frente. (nem sei como tenho os rins no lugar ainda... aff)


8. Pessoas gordinhas e espaçosas que acham que tem direito a um banco e meio. No caso da minha pessoa, no alto dos meu IMC menor de 20, sabe como é né? Sento em meio banco.

9. Pessoas que não tomam banho. (Importante sempre ter um Vick Vaporup na bolsa... passa no nariz e vamos embora)...


10. Pessoas que tomam banho de perfume.
"Que bom teu perfume! É da Avon?" uhauhauhah

Bom pessoal, era isso!


Beijos de amor a todos amigos queridos que lêem meu blog!


HASTA! SIEMPRE!

domingo, 18 de outubro de 2009

o maestro, o malandro e o poeta.


Respectivamente, Vinicius, Chico e Tom.

Quarta-feira prestigiei um show no João sem Gilberto, o último dos três acima, do Projeto Roda Viva.
Uma bandinha de Porto Alegre muito boa tocou os principais sucesso de Vinicius de Moraes e uma série de outras composições não tão conhecidas assim.

Acho o Vinicius o mais pessimista dos três.

Ele passa o tempo inteiro falando de tristeza.

A frase que talvez reflita isso, seja uma das mais conhecidas dele: "A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida".
Vivemos desencontrando as pessoas, as coisas, não encontrando a materiliazação dos nossos desejos.
Quero me convencer de que o universo conspira a favor da gente. Ou seja, talvez alguns encontros não aconteçam para evitar sofrimentos maiores, ou as vezes acontecem para que reflitamos o que nos faz felizes.
Isso pode ser uma coisa inventada. De que a gente tem que ser feliz. Não me importo. O objetivo final da minha vida é ser feliz. Por isso, quando eu não estou feliz, ou alguma coisa me incomoda, eu me faço duas perguntas: "Laíne, tás feliz?" e "Laíne: tu precisas passar por isso?".
Ninguém tem que se humilhar ou ser infeliz para agradar os outros, muito menos mendigar amor ou se contentar com coisas pela metade.
Passei um final de semana sentindo-me bastante sentimental e melosa.
Eu quero ser muito feliz, sempre.
E por pior que seja, as vezes temos que superar algumas coisas. As vezes as coisas ficam inacabadas. E dá uma baita vontade de chorar. E esquecer as coisas inacabadas é uma das maiores dificuldades de seres humanos sentimentais e românticos como eu.
A verdade é que nunca vou matar a Amelie (percebam o ecletismo: comecei com MPB e vou terminar com cinema francês, hehehe) ... que existe dentro de mim. O Nino um dia aparecerá e provavelmente também irá embora... encontro e desencontro...
O próprio Arnaldo Jabor*, escreve sobre as histórias mal resolvidaas da nossa vida. E que para evitar esse tipo de coisa, o negócio é gastar o amor até o fim. Nem sempre é possível...
Mas... a vida continua.

E ao mesmo tempo:

A questã é ser otimista Poetinha!
Vinicius de Moraes nasceu em 1913 e casou-se nove vezes!!! (dá pra entender porque falava em desencontro e tristezas)
Morreu em 1980. Se tivesse morrido em 2009, talvez até reveria alguns conceitos e perceberia que depois que inventaram telefone celular, desencontro se tornaram mais difíceis.

Como já diria o gurizinho do Tang: "eu quero é mais!"... e tenho muito mais para dar!


Hasta!




Sobrou desse nosso desencontro
Um conto de amor
Sem ponto final
Retrato sem cor
Jogado aos meus pés
E saudades fúteis
Saudades frágeis
Meros papéis

(Do malandro)



* Arnaldo Jabor escrevendo sobre relacionamentos é legal, mas politicamente é um fascista.

sábado, 17 de outubro de 2009

teste de DNA.



Qualquer semelhança é mera coincidência?
Será?
A Catarina é a cara do Charles Chaplin!!!

uhauahauahauhauahaua

Hasta!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Chico é Chico.



Ouvi essa música hoje. Mais uma daquelas para reiterar, que Chico Buarque, é Chico Buarque.

Ditos populares nem sempre condizem com a realidade. Ou no limite, são usados para disfarçar uma coisa, que, essa sim, "é batata", de que "mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira". A gente sempre sabe.

Um ótimo final de semana para todos meus amigos! Descansem, amem e dêem muitas gargalhadas!

Beijos de amor!

Hasta!


Ouça um bom conselho
Que eu lhe dou de graça
Inútil dormir que a dor não passa
Espere sentado
Ou você se cansa
Está provado, quem espera nunca alcança

Venha, meu amigo
Deixe esse regaço
Brinque com meu fogo
Venha se queimar
Faça como eu digo
Faça como eu faço
Aja duas vezes antes de pensar

Corro atrás do tempo
Vim de não sei onde
Devagar é que não se vai longe
Eu semeio o vento
Na minha cidade
Vou pra rua e bebo a tempestade


Bom Conselho (Chico Buarque)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Feliz dia do professor!



Escrevi um baita dum texto e esse computador travou! Não vou escrever tudo denovo!
Computador FDP, ajoelha no milho!

Hasta!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Dale!


Não venham com essa história de que mulher não sabe nada de futebol! ______________________________________________________________
Uma das maiores batalhas futebolísticas da história, está pra acontecer. Em menos de 3 horas, jogam Uruguai e Argentina e a Celeste pode, PODE, eliminar "la poderosa" (que não é da do Che) Argentina!!!

Falei com um amigo uruguaio agora a pouco e ele disse que o espírito no país é de guerra, de que vão jogar a pátria, o orgulho, a vida nesse jogo. Faltam 11 dias para as eleições gerais no país e a população "não tá nem aí pro pastel", ou melhor "pra torta". Colorados, Blancos, Frente Amplia? No pasa nada! É seleção uruguaia "nas cabeça"! Adoro o uruguai e todos meus amigos uruguaios, mas... como já diria o amigo Laurinho, ver a Argentina fora da Copa ía ser bem estranho. E não poder ver a Argentina perdendo, seria (ou será) frustante demasiado.
Quem sabe os argentinos se tornem até mais humildezinhos.

Ou descubram quem inventou o tango de uma vez por todas.



Dale!

___________________________________________________

PS: a foto que utilizei para demonstrar a bagunça do meu quarto, não é do meu quarto realmente. Juro.


terça-feira, 13 de outubro de 2009

Até quando você vai levando?


As pessoas são contraditórias por natureza. Também sou uma pessoa bem contraditória. A gente as vezes defende coisas e faz outras. Pelo menos, na maioria das vezes, tenta não se contradizer, mas se contradiz.
Domingo, lendo a Zero Hora, me deparei com uma notícia, que juro, li três vezes. Por quê? Porque não estava acreditando.

Segue a noticia na íntegra.

Gabriel O Pensador se torna parceiro do Inter

Cantor carioca começa a colocar jogadores no clube

O músico Gabriel O Pensador é o mais novo parceiro do Inter. Assim como Delcyr Sonda e Edy Cracco, o cantor carioca também começa a colocar jogadores no clube. Foi levado ao Beira-Rio pelo diretor das categorias de base Giscard Salton. O atacante Bruno Donizete, 18 anos, filho de Donizete, ex-centroavante da Seleção Brasileira, é o primeiro reforço de Gabriel para os juniores do Inter. O músico tem mais três jogadores em fase de teste no clube.

E o blog do Wianet Carlet completa:
Pensador – Eu não sabia que Gabriel, o Pensador, além de compor e cantar rap, também é empresário de jogadores. Só no Beira-Rio, quatro garotos treinam e pertencem ao artista.

Notem: Gabriel TEM três jogadores. Quantro garotos PERTENCEM ao Gabriel.

Na boa, isso até parece piada.
Se as pessoas querem ganhar dinheiro, tudo bem.
O capitalismo passou de mercantil, pra produtivo, pra comercial e agora finaceiro.
Ok. A melhor forma de ganhar dinheiro é especulando. Especulando
terras, imóveis, dinheiro mesmo. Tem gente que especula gente. Talento dos outros. Pessoas = mercadorias (isso acontece em todas as profissões, umas mais, outras menos).
Isso não seria nenhum absurdo se a gente não tivesse falando dum cara que é um pensador, um cara que passou toda a carreira fazendo crítica comportamental, social, política, e que colocou as forças em combater justiça social, econômica e racial; que escreveu "cachimbo da paz", "até quando?", "lôraburra"... se dedica a especular a "vida de guris de vila": mercadoria pura.

Maresia, sente a maresia
maresia, uuu...

Bah, será que o Gabriel não tem outro jeito de ganhar dinheiro?
Podia deixar isso pra gente que defende essas coisas. Ele critica a "coisa" e reproduz a coisa do jeito mais literal.

Quanta decepção.

E tenho um recado para o Senhor Astronauta:

Ah não, meu irmão... qual é a tua?
Que bicho te mordeu aí na lua?
Fica por aí que é o melhor que você faz
A vida por aqui tá difícil demais

Fica pela Lua sim! Porque o teu amigo Pensador "tá viajando na maionese".

É a tal liberade liberal.

Hasta!


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Feliz Dia das "Quiança"!!!


Abre a boca, é royal!

Mariaaaaaaana da tia, feliz dia das crianças!!!

Sim... minhas amigas só fazem crianças bonitas!!!

Beijo de amor!

Hasta!


Super fantástico, amigo, que bom estar contigo no nosso balão!

sábado, 10 de outubro de 2009

Onde estão teus tamborins?


Sobre a questão de conservar ou não.

Tava em casa, picando cebola. E chorando, por causa dela. Ah... cebola safada.
Escutando Zeca Baleiro. Um cara que eu curto muito.
Tem umas questões filosóficas (não sei se é bem essa palavra) que me tiram o sono. Um delas é: conservar ou mudar.
Eu gosto muito duma frase dum grande mestre lá da Faculdade de Educação: "Fácil é ser igual, difícil é ser diferente".
Conservar o que tá aí, é, na verdade, na maioria das vezes, sinônimo de agir de acordo com as normas sociais, familiares e judaico/cristãs que nos são postas. Às vezes. Às vezes a gente conserva simplesmente porque é bom mesmo.
Essa música do Baleiro é uma das poucas composições que eu respeito que me deixam na dúvida: agir igual, gostar igual, das mesmas coisas (a mesma e única casa, onde eu sempre morei...) ou mudar tudo isso? Depende.
Eu gostaria de conservar só as coisas que fazem bem. Nem sempre dá. Geralmente uma estrutura que diz que não. E eu aceito. As vezes.
Bueno, escolhi Ciências Sociais. Quando tinha 17 anos. E hoje, sem arrependimentos, pode ser que, nesse sentido, eu não fui com as outras. E sou bem feliz com isso. Bem feliz mesmo. E com uma vontade louca de imprimir o futuro.

http://www.youtube.com/watch?v=w34OCRdU4Ys

Minha Casa

É mais fácil
Cultuar os mortos
Que os vivos
Mais fácil viver
De sombras que de sóis
É mais fácil
Mimeografar o passado
Que imprimir o futuro...

Não quero ser triste
Como o poeta que envelhece
Lendo Maiakóvski
Na loja de conveniência
Não quero ser alegre
Como o cão que sai a passear
Com o seu dono alegre
Sob o sol de domingo...

Nem quero ser estanque
Como quem constrói estradas
E não anda
Quero no escuro
Como um cego tatear
Estrelas distraídas
Quero no escuro
Como um cego tatear
Estrelas distraídas...

Amoras silvestres
No passeio público
Amores secretos
Debaixo dos guarda-chuvas
Tempestades que não param
Pára-raios quem não tem
Mesmo que não venha o trem
Não posso parar
Tempestades que não param
Pára-raios quem não tem
Mesmo que não venha o trem
Não posso parar...

Veja o mundo passar Como passa Uma escola de samba Que atravessa Pergunto onde estão Teus tamborins? Pergunto onde estão Teus tamborins? Sentado na porta De minha casa A mesma e única casa A casa onde eu sempre morei A casa onde eu sempre morei A casa onde eu sempre morei...

Créditos da Imagem: Um tal de Pablo Picasso.

Do lado esquerdo.



Esse post tem o intuito de agradecer ao mundo pelos amigos que tenho.
O almoço de hoje, lá na casa da Nani e do Mineiro, opa, e da Iolanda, é uma prova de como as coisas mais simples são as mais legais.


Vem o mundo e diz: seja fashion, seja rico, seja inteligente, seja sarado, tenha um carro assim, compre o apartamento "assado". Trabalhe "que nem um condenado", ganhe dinheiro, compre coisas que não fazem falta, jogue no lixo, e continue se achando um merda, literalmente. Lugar de ser feliz não é siupermercado, conforme Baleiro.

Lugar de ser feliz é lá na casa da Nani, aqui em casa, lá no ap da Tininha, lá na frente do ICH, lá no quadrado tomando mate ou tomando mate caminhando na Barroso, tomando cerveja no Papuera ou tomando um café na Padaria Popular. Tudo isso, porque, algumas das pessoas mais legais do mundo, estão nesses lugares. E quando me encontram na rua, vem com um sorrisão no rosto dizendo: Laííííne, Polaaacaaaa, Negruraaa, Wiri... ou qualquer um dos apelidos que "adquiri" ao longo dos meus 8 anos em SATOLEP...


Obrigada por serem meus amigos,

Amo muito vocês!

Beijo de amor, "porque é muito fácil ser feliz"*.

Hasta siempre!

* Frase da célebre socióloga Dieni Rodrigues de Rodrigues.

-------------------------------------------------------------------------------------

ps1: Por questão de esclarecimento: não são só as pessoas do Porto de Satolep que eu amo. (hehe)
ps2: Obrigada aos amigos que estão acompanhando o blog. Fico muito feliz por isso. Prometo retribuir a altura.
ps3: Segredinho: estou viciada nele. No blog.


ã?

Estou arrumando meu quarto. Se eu desaparecer por alguns dias, por favor, chamem a defesa civil. Obrigada.

______________________________________________________

I was there yesterday.

Da famosa ocasião que tu achas que entendeu tudo e na verdade, não entendeu porcaria nenhuma.
Me dei. =P

Hasta!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Luiz Fernando Veríssimo


Mudei de idéia. Na verdade eu amo o Luiz Fernando Veríssimo. E prefiro ele.
Eu escrevi aquilo bêbada.
Mas, o Juremir é muito massa também.
E a Fernanda Young também.
Desculpa ter nascido.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Brrrrrrrrrrrrrr


Pelotas, segunda-feira, dia 05 de outubro de 2009, as 10h: aproximadamente 20°C.
Porto Alegre, segunda-feira, dia 05 de outubro de 2009, as 13h: 30° C.
Santa Cruz do Sul, segunda-feira, dia 05 de outubro de 2009, as 17h: 36° C!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Pelotas, agora, quinta-feira, 07 de outubro de 2009, 19h: sensação térmica menos de 10°C.

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaatchim...

Saúde, Deus te crie minha fia.

Amém.

Chamem os Bombeiros! O ursinho foi vitima do aquecimento e não sabe nadar.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Baby Io, muito prazer.

Quem conhece um bebê mais lindo que esse aí da foto, que se apresente!
Mistura de uma gringa fazedora de macarrão e de um mineiro fazedor de pão de queijo (um pouco abatumadinho, uai). "da união de seus poderes, eis a criatura mais perfeita dos últimos tempos"... Olhos azuis nada pálidos, diga-se de passagem, e dos traços mais delicados que nossos "bebês" (meninas dos anos 80)...

Saúde,
sorte,
amor,
muita felicidade.
Beijo de amor,
hasta!

Juremir Machado da Silva

Todas as terças-feiras, desperto as 5h. Saio da city fumageira e parto "pra capitar".
Café com leite e pão de queijo na Rodô. E um Correio do Povo embaixo do braço.
Mesmo que o jornal seja uma das aquisições da Igreja Universal, o jornalismo não tem nem comparação. Pior que Zero Hora, só a Veja mesmo.
A primeira coisa a fazer é ler a coluna de Juremir Machado da Silva.
Há quem goste de Luiz Fernando Veríssimo. Também curto. Mesmo assim, acho que ainda prefiro o Juremir. Tá, tá, tudo bem, não é só porque ele é Doutor em Sociologia. É porque mesmo sendo doutor em sociologia, o cara é engraçado pra caramba (nunca conheci um Doutor em Sociologia engraçado)... Ele fala de tudo que se imagina e mais um pouco, com um humor mais ácido que o xarope de ácido lático sabor framboesa que eu tô tomando...
Seu Juremir, um dia, quando eu crescer, quero ser assim como o senhor.
Desculpe Fernanda Young, mudei de ideia.


E para não dizer que tudo isso é retórica, um aperitivinho.


Todos iguais

Juro que foi assim. Em Paris, numa tarde de chuva, dois brasileiros se encontraram: um gaúcho e um paranaense. Ficaram naquele chove não molha durante alguns minutos. Depois, entraram numa disputa especial.

- Curitiba tem um planejamento urbano reconhecido mundialmente - exulta o paranaense, sorrindo muito.

- Porto Alegre tem um padrão de vida melhor. Sem contar que o nosso pôr do sol é o mais lindo do planeta.

- Não era da galáxia?

- Sem graça.

- Curitiba é muito mais organizada e limpa.

- As mulheres gaúchas são muito mais lindas.

- Faz mais frio em Curitiba. É mais alto - diz o paranaense, orgulhoso, com um tom altivo na voz.

- Pode até ser, mas o frio de Porto Alegre é mais úmido e por isso mesmo muito mais difícil de suportar - retruca o gaúcho, estufando o peito de tanta satisfação.

Chega um francês, amigo de um deles, puxa assunto e, depois de alguns mal-entendidos, entra no jogo:

- Paris é a capital do mundo - dispara.

- Não é mais - corrigiu o gaúcho. - É Nova Iorque.

- Pensei que era Porto Alegre - provoca o curitibano.

- Vai ser. Um dia. Já Curitiba não tem chance alguma.

- Paris é a mais bela cidade do mundo - diz o francês.

- Prefiro Londres - desdenha o gaúcho.

- Pensei que era Porto Alegre - implica o curitibano.

- Continuamos tendo o melhor futebol do mundo - delira o gaúcho, tentando ignorar a provocação do paranaense.

- Mas continuam subdesenvolvidos - alfineta o francês.

- Em desenvolvimento - corrige o curitibano.

- Somos um país emergente - emenda o gaúcho.

- Temos o pré-sal - exibe-se o curitibano.

- Por que então não viram uma potência? Continuam com uma enorme desigualdade social - cutuca o francês metido.

- É uma questão de governo. O Brasil tem, por exemplo, a maior carga tributária do mundo - justifica o gaúcho.

- Conversa fiada - diz o curitibano.

- Curitiba é a cidade mais chata do Brasil - fala o gaúcho, visivelmente aborrecido e pronto para briga.

- Porto Alegre é a cidade mais bairrista do planeta - encara o paranaense, bom de briga e de chateação.

- Não somos bairristas. Temos orgulho das nossas realizações. Afinal, temos uma história muito especial.

- Isso, que sirvam as façanhas de vocês de modelo a toda Terra. Que modéstia! Que humildade! Quanto equilíbrio!

O pau já ia comer quando apareceu um carioca.

- Estou chegando da Cidade Maravilhosa. Querem saber? O Rio continua lindo, dez, maneiro, espetacular...

- Tem muita miséria e favela no Rio - diz o francês.

- Carioca está sempre tentando levar vantagem - fulmina o gaúcho. - É um saco. Malandragem demais, cansa.

- O Rio é muito ruim em termos de planejamento urbano e de transportes públicos - começa a dizer o curitibano.

- Ah, não, de novo? Essas viúvas do Lerner são incansáveis, meu Deus! Será que nunca vão parar com isso?

- E vocês, me diga, quando vão parar de se gabar do que a natureza fez e acrescentar alguma coisa ao dom de Deus?

- Lá vem o paulista - interrompe o gaúcho.

Saíram todos à francesa. Amigos para sempre.

- À francesa, não, à inglesa - corrige o francês.

- À carioca - diz o paulista.