segunda-feira, 17 de outubro de 2011

E te abraçava, do you wanna dance?




Não sei se alguém já escreveu sobre isso, então tomarei a liberdade de escrever.

Na manifestação de 15.10.11 na Praça Coronel Pedro Osório de Pelotas, várias falas tratavam dos assuntos, que nós, os vermelhos (aliás, os mesmos de sempre, contando, com (UFA!) a galera que está se aprochegando!), estamos acostumados a discutir: especulação financeira, concentração de renda e desigualdade social, questão ambiental, cachorros de rua, Pelotas não tem empregos ... Enfim, mas a fala que me surpreendeu foi a do casal proibido de dançar. Hein? Que isso tem a ver com Wall Street?

Democracia Real.

Para quem não sabe da história, há muitos anos um senhor é conhecido na cidade por dançar com uma boneca no calçadão. Segundo a reportagem do clicrbsPelotas http://wp.clicrbs.com.br/retratosdavida/2011/01/26/beto-e-izar-no-calcadao/?topo=13,1,1,,,77 ... que trata de outro casal que faz shows na rua, o senhor casou e a boneca foi trocada por uma mulher (que é uma boneca de tão mimosa, por sinal) e estava, agora, dançando com ela.

Voltando ao assunto, segundo o que eles contaram, foram proibidos de DANÇAR no calçadão.

Por quê?

Porque segundo os comerciantes, atraíam muitos curiosos e atravancavam o caminho, não tendo Mario Quintana nada a ver com isso.

Pasmem meus queridos, mas segundo eles, começaram a sofrer assédios morais dos mais abomináveis: jogaram-nos URINA. Ou melhor, segundo o dançarino: "Nos atiraram MIJO".

Como é que uma CIDADE que se diz TURÍSTICA, que se diz a lindeza da arquitetura do caramba e que SE ORGULHA (de quÊ? de quemmm?) de fazer 200 anos de SEI LÁ o que, tem a CAPACIDADE de PROIBIR uma manifestação artística, linda como a dança, de um casal tão simpático, que usa a arte para VIVER???????????????????????????????????????

Quem proíbe manifestações num CALÇADÃO que é PÚBLICO! PÚBLICO!

PÚBLICO NÃO É PRIVADO. SÃO ANTÔNIMOS. ANTÔNIMOS!!!

Os mesmos que decidem a vida da humanidade através de um monte de números e cifras de forma arbitrária lá na tal Wall Street são os mesmos que violentam um casal de artistas no calçadão de Pelotas. Os mesmos de Wall Street tem tudo a ver com aquelas crianças esqueléticas que figuram a tal ÁFRICA, que são os mesmos que fazem com que Pelotas sofra essa desigualdade de renda absurda, fazendo com que algumas crianças da periferia não saibam nem como é o calçadão.

Hasta!


Foto: Coletivo Rede.


Um comentário:

  1. Legal, Laíne! Não sabia que você tem um blog!
    ótima reflexão!

    ResponderExcluir